A Mulher do Sari Cor-de-Rosa- Book Review

Nada melhor do que ler um livro que te faça navegar na história e imaginar como terá sido aquilo ou como é que isto acont...






Nada melhor do que ler um livro que te faça navegar na história e imaginar como terá sido aquilo ou como é que isto aconteceu... pois, por vezes ás vezes nem acredito no que leio e isso aconteceu com este livro.

Desta vez a história conta um acontecimento verídico que fala de uma mulher indiana, Sampat, que vinha de uma família de pastores e agricultores, tinha cinco irmãos e uma irmã, os pais não saibam ler nem escrever e eram uma família muito pobre.
Esta história fala desta mulher que criou um gangue, que tinha o nome "Gangue do Sari Cor-de-Rosa", ela era uma mulher diferente com uma mentalidade diferente de quase toda a gente. Tudo começou quando ela era ainda pequena, fugia de casa à tarde e ia infiltrar-se numa escola, na Índia só os rapazes é que podem ir à escola, sobretudo os de famílias ricas, porque na Índia acha-se que as mulheres não precisam de ir para a escola para saber ler nem escrever, só precisam de sber fazer as tarefas de casa e um pão tradicional indiano o "chapati", se não souberem fazê-lo não se casavam. Então ela aprendeu a ler sozinha escondida na escola, e o tio dela descobriu e por sorte ele ajudou-a a matricular-se na escola, como ela adorava a escola pedia ao tio para lhe dar aulas extra em casa.
Com apenas 12 anos casou-se, na Índia existe a tradição que os pais é que escolhem o marido para a filha e muito cedo as querem casar com um marido rico, porque aos 20 anos as raparigas já são consideradas demasiado velhas para casar e também os maridos são sempre muito mais velhos.
Passado uns tempos ela foi viver para casa da família do marido onde faziam dela uma empregada para tudo, ela não podia sair de casa sem autorização do marido, nem que fosse só para ir às compras. Fazia todos os trabalhos domésticos da casa e cozinhava para todos e só podia responder àquilo que lhe perguntavam. À frente da sogra e do marido tinha de usar um sari a tapar a cara e não podia olhar para os olhos do marido, tendo sempre de lhe obedecer. Foi então que Sampat engravidou e teve uma menina, como a sogra não queria uma menina e sim um menino, Sampat não prestava para nada.
Um dia Sampat revoltou-se, ela não queria viver aprisionada numa casa onde não tinha opinião sobre nada e contra todas as injustiças da família do marido.
Mais tarde saiu de casa com a filha e com o marido e foram morar para outra casa, onde se implementou novas regras, o marido ajudava nas tarefas de casa, ela e o marido conversavam e confiavam um no outro, ou seja, contavam tudo um ao outro e apoiavam-se, ela também trabalhava para haver dinheiro para sustentar a casa.
Ela tinha amigas vizinhas e conversavam muito na rua e nem toda a gente via isso com bons olhos, com isso ela sabia todas as histórias más da aldeia e das próprias amigas, Sampat incentivava as amigas a darem a sua opinião e a revoltarem-se sobre o que achavam que estava mal. Na Índia as mulheres que se revoltavassem ou que respondessem mal a um homem podiam ser mortas por isso ela decidiu criar um gangue, com muitas mulheres e todas juntas organizavam-se e enfrentavam a polícia e assim conseguiam fazer justiça contra a mentalidade machista e violenta da sociedade.


Nothing better than reading a book that makes you surf the history and imagine how it will have been or how this happened ... because sometimes sometimes can not believe what I read and it happened with this book.

This time the story tells a true event that speaks of an Indian woman, Sampat, who came from a family of shepherds and farmers, had five brothers and a sister, parents can not read or write and were a very poor family.
This story tells of the woman who created a gang, which had the name "Gang of Sari Pink-Rose", she was a different woman with a different mentality of almost everybody. It all started when she was still small, run away from home in the afternoon and would infiltrate a school in India only the boys is that they can go to school, especially those from wealthy families, because in India finds that women do not need to go to school to learn to read or write, just need SBER doing homework and a traditional Indian bread the "chapati", if you do not know do you not married. Then she learned to read alone hidden in school, and her uncle found and luckily he helped her to enroll in school, how she loved school asked the uncle to give him extra lessons at home.
With only 12 years married, in India there is a tradition that parents are choosing a husband for his daughter and too early to want to marry a rich husband, because at age 20 girls are already considered too old to marry and also husbands are always much older.
Spent some time she moved to her husband's family home where they made her a servant to all, she could not leave the house without permission from her husband, even if only to go shopping. It was all domestic housework and cooking for everyone and could only respond to what you asked. Ahead of the mother and husband had to wear a sari to cover her face and could not look into the eyes of her husband, always having to obey him. Then Sampat got pregnant and had a child, as the mother did not want a girl but a boy, Sampat not good for nothing.
One day Sampat revolted, she did not want to live imprisoned in a house where he had no opinion on anything and against all injustices husband's family.
Later left the house with her daughter and her husband and they moved to another house, where he implemented new rules, the husband helped with homework, she and her husband talked and trust each other, that is, counted all a other and supported it, she also worked to have money to support the house.
She had nearby friends and talked a lot on the street and not everyone saw it with good eyes, so she knew all the bad stories of the village and their own friends, Sampat encouraged her friends to give their opinion and to revolt on what they thought was wrong. In India women who revoltavassem or respond poorly to a man could be killed so she decided to create a gang, with many women and all together it is organized and faced the police and so could do justice against sexist and violent mentality society.

You Might Also Like

3 comentários

  1. Já li este livro e gostei muito, não sou muito de ler livros, mas este agarrou-me de tal maneira à história que não consegui deixar de ler até à última página. Por este mundo fora, existem muitas vidas difíceis...
    beijinhos, adorei as fotos*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. pois a história também me incentivou muito para chegar ao fim e saber como acabou... pois tens muita razão, cada país tem ideias muito diferentes! beijijnhos obrigadaa :D

      Eliminar
  2. Já li este livro e gostei muito, não sou muito de ler livros, mas este agarrou-me de tal maneira à história que não consegui deixar de ler até à última página. Por este mundo fora, existem muitas vidas difíceis...
    beijinhos, adorei as fotos*

    ResponderEliminar

Flickr Images